Admirável Mundo Novo (Digital)

Diante de uma pandemia, veja como as soluções digitais mudaram vidas para melhor em cinco setores

A transformação digital estava se tornando o novo normal muito antes de 2020. Mas dois anos vivendo uma pandemia mudaram fundamentalmente nossa relação com a tecnologia. Também colocou uma nova urgência na necessidade de cada empresa se concentrar em uma estratégia de prioridade digital, seja um supermercado, hospital, estúdio de design de videogames ou banco multinacional.

 

Os consumidores passaram mais tempo do que nunca em seus dispositivos pessoais durante a pandemia, e até mesmo as empresas que tinham as melhores ferramentas digitais e infraestrutura em vigor enfrentaram demanda e tensão sem precedentes. Em resposta, essas empresas se adaptaram, tornando seus serviços digitais mais rápidos, melhores, mais seguros e mais facilmente acessíveis.

 

Veja como cinco indústrias gerenciaram esta mudança.

 

E-commerce

 

As compras online são tão antigas quanto a própria Internet, mas o Digital Commerce 360 estima que a pandemia acelerou a mudança para a tendência do comércio eletrônico em pelo menos dois anos, com as vendas on-line atingindo US$ 791,70 bilhões em 2020, um aumento de 32,4% em relação a 2019. A tendência ainda está crescendo. As vendas de comércio eletrônico dos EUA para o segundo trimestre de 2021 atingiram US$ 211,7 bilhões, um aumento de 9,1 por cento em relação ao mesmo trimestre de 2020.

 

Varejistas que ainda não tinham presença de comércio eletrônico tiveram que agir rapidamente para atender à demanda por experiências de compra online simplicada que oferecem fácil acesso, atendimento conveniente, alinhamento multicanal, opções de pagamento e alta segurança do usuário.

 

A grande maioria dos consumidores adquiriu um novo comportamento de compra durante a pandemia, e a maioria pretende continuar. 

 

Serviços Financeiros

 

No auge da quarentena, a maioria das operações bancárias eram limitadas. Isso significava que transações que antes precisavam ser feitas pessoalmente, como abrir uma nova conta corrente, tiveram que ser redirecionadas para a web e. Os consumidores estão exigindo mais recursos de seus serviços financeiros físicos. E para os millennials e a geração Z, muitos deixaram os bancos tradicionais em massa e se juntaram alegremente às fintech's que atendem aos seus caprichos e vida nômade.

 

A transição para o online no setor bancário foi quase forçada e em velocidade "de dobra".

 

Muitas dessas mudanças são sem passagem de volta, vão ficar para sempre. Por exemplo, mover serviços para a nuvem é muito mais fácil para os bancos agora. Antes, havia muitos opositores dentro dos bancos — pessoas que basicamente diziam: 'Nossos regulamentos não permitem isso'. Com a pressão certa, descobriu-se que os regulamentos permitiram. Em essência, os bancos entenderam que a parte digital de seus negócios se tornará ainda mais importante no futuro previsível.

 

Saúde

 

Uma grande transição: uma explosão no uso da telemedicina. Embora a telemedicina existisse muito antes da covid-19, consultas virtuais entre pacientes e profissionais médicos por telefone e vídeo têm sido uma grande parte da transformação do setor de saúde durante a pandemia.

 

O acesso ampliado às telemedicinas teve múltiplos benefícios para pacientes e profissionais: reduziu o risco de exposição à covid-19 para funcionários e pacientes, aliviou a demanda por instalações médicas sobrecarregadas com pacientes com covid-19 e ajudou a preservar o fornecimento de equipamentos de proteção individual, o que era escasso durante os primeiros meses da pandemia.

 

Apenas 11% dos consumidores relataram usar telemedicina antes da pandemia — agora 40% dizem que usarão telemedicina daqui para frente. Esse salto significa que os profissionais de saúde devem continuar a evoluir digitalmente.

 

Entretenimento

 

A era digital de hoje proporcionou uma série de serviços de streaming de vídeo sob demanda, o que significou mais liberdade para o consumidor assistir o que quiser, quando quiser, onde quiser e em qualquer dispositivo que quiser. E com muitas pessoas confinadas em suas casas no início da pandemia, o streaming de filmes e programas de TV se tornou mais popular do que nunca. As assinaturas de streaming cresceram 50% entre 2019 e 2020, atualmente as pessoas gastam mais tempo consumindo mídia digital do que a mídia tradicional.

 

Jogos

Os videogames já estavam crescendo antes da pandemia, com a indústria arrecadando US$ 200 bilhões por ano e crescendo. E embora estar em confinamento não tenha necessariamente mudado as necessidades de um jogador em geral, intensificou as necessidades e desejos das pessoas que jogavam jogos, também trouxe novas pessoas para o mundo dos jogos — pessoas que estavam presas lá dentro e procurando uma maneira de interagir com amigos e familiares.

 

As pessoas precisavam poder jogar com seus amigos quando quisessem, e com muito mais pessoas jogando de uma só vez, havia tensões reais na infraestrutura que as empresas de jogos tinham.

 

Os jogos como indústria sempre estiveram à frente da curva, e os jogadores têm se movido para comprar jogos on-line em vez de na loja desde 2013. Os arquivos de videogames são notoriamente grandes, com alguns novos jogos superando 100 gigabytes, as empresas de videogames confiam em plataformas para manter as coisas funcionando sem problemas, especialmente nos dias de lançamento, quando milhões de jogadores podem estar tentando baixar o arquivo ao mesmo tempo.

 

Agora, designers e jogadores de jogos podem aproveitar a flexibilidade e o poder das arquiteturas de microsserviços — uma infinidade de elementos conectados e interativos que aprofundam a experiência de jogo, de lojas virtuais e moedas a bate-papos on-line, tabelas de classificação e matchmaking.

Você tem algum projeto?

Está precisando de uma presença coerente e coesa no ambiente online e offline?

CENTRAL DE ATENDIMENTO